Homeopatia – Evidências Ciêntificas

Um prémio Nobel e vários investigadores demonstraram contundentes evidências científicas na homeopatia.

por Dra. C Calleja, publicado em Homeopatia.net

Conferência do Prof. Luc Montagnier durante o congresso

De 6 a 8 de Maio de 2016, celebrou-se em San Sebastián, Espanha, o VII Congresso Nacional de Homeopatia. que contou com a presença de 250 profissionais de saúde.

Luc_MontagnierDurante o congresso tivemos o grande prazer de poder ouvir em directo três grandes investigadores que trabalham com as ultra-diluições homeopáticas, eles são apenas uma amostra das diferentes equipas em todo o mundo que estão a investigar esta área. O Prémio Nobel Luc Montagnier, demove-se com o desejo que envelheçamos com mais qualidade de vida, sendo que vivemos muito mas a sofrer com doenças crónicas.
O Nobel disse estarmos a viver um momento que pode marcar o futuro da medicina, que deve basear-se em fazer uma boa prevenção, com as previsões das patologias a partir de exames e diagnósticos e com a personalização do tratamento, o que indica que “só existe uma medicina: a que faz o bem às pessoas”.
No seu ponto de vista, as doenças crónicas são crónicas porque até agora tem sido impossível detectar com as análises e exames vigentes, a origem destas enfermidades. Graças ao que estudaram com as  ultra diluições, seguindo o caminho que marcou o Dr. Jacques Benveniste, puderam encontrar no soro dos pacientes, infecções por agentes patogénicos, que se perpetuam no tempo porque nem o nosso sistema imunológico as distingue; estes agentes patogénicos formam um bio-filme impermeável inclusive aos antibióticos e medicamentos mais potentes.
Devido às ultra diluições pode-se desfazer o ADN que se encontra no plasma do paciente, aplicando o método homeopático de desconcentração e agitação, no qual a água forma nanobolhas e interfaces que emitem sons que se distinguem pelos seus componentes eléctricos: são fenómenos de ressonância.
O Dr. Montagnier disse que se não tivessem feito isto trabalhando com o método homeopático, nunca tinham podido isolar os patogénicos.
Partimos então de infecções crónicas que provocam doenças crónicas e que isolando segundo este método, se podem tratar.
Tudo se explica melhor, e se entende melhor, diz, pela física quântica.
Anota que são “feitos”, existem para utiliza-los.

A seguir ouvimos Etienne Capieaux, Investigador em bioengenharia na Bélgica. E novamente nos fornece dados:

  • “Há evidência da acção biológica nas ultra diluições”, o ADN responde mediante ressonância à diluição homeopática ou ultra diluições”.
  • “a mensagem homeopática produz-se a partir do RNA mensageiro, o qual parte do ADN”.
  • “A homeopatia incide sobre o genoma”. “Uma mensagem homeopática pode-se produzir desta maneira como se fosse una antena”.

Até este ponto do congresso se as evidências ainda não fossem suficientes, falou-nos Marc Henry, professor de física e química quântica na Universidade de Estrasburgo, dando seguimento:

  • “As altas diluições formam sistemas de coerência quântica”. “Sem saber, Hahnemann foi o primeiro físico quântico”.
  • O organismo doente esta a funcionar de una forma incoerente, a homeopatia, faz que entre em coerência.
  • “A água e as suas ondas electromagnéticas, com o método homeopático, assim é o seu mecanismo de acção”. Sistemas de coerência quânticos.
  • “ Em todas as células lipidicas humanas há umas quatro capas de água e podemos inserir informação nessas nano-células”, de coerência, saúde, ou de incoerência, doença.
    A homeopatia faz com que funcionem com coerência.
  • “Todas as células lipidicas humanas têm uma grande capacidade de armazenamento, esta memória celular pode durar 100 anos, que é mais ou menos a vida de uma pessoa”.
  • “Quanto mais diluiu, mais aumento a possibilidade de coerência porque ao multiplicar-se a informação, têm mais capacidade de armazenamento estas células”.
    Se estamos a enviar uma mensagem com homeopatia, mas em coerência entra toda essa informação e podemos ter mais saúde.
  • E de novo volta-nos a falar das nanobolhas que se unem com a mensagem de Montagnier. “Este é um mecanismo quântico” afirma. “não funciona segundo leis da física quântica”. “Temos que nos começar a familiarizar com esta ciência e com a física quântica”, assegura.
  • “Se temos uma boa saúde estamos em coerência, e isto faz com que não sintamos os nossos órgãos, sentimos-los quando estamos doentes, quando estamos em um sistema incoerente”.
    “Os medicamentos homeopáticos actuam sobre a memória celular, mesmo sobre a muito antiga, mesmo antes de começar a adoecer…”
  • “ A força vital de que tanto falava Hahnemann, hoje podemos constatar que é um fenómeno quântico”.

“Como reflexão, relembramos que a homeopatia nunca esteve parada, os investigadores levam décadas a estudar estes fenómenos, que podemos dizer com orgulho que a terapêutica homeopática, quando restabelece a saúde, o faz de una maneira integral, o paciente vive-o como tal. A ciência explica que não pode ser de outra maneira, pois são as altas diluições as únicas que podem chegar ao sistema, impenetrável por outros meios, o da memória celular.

Também queremos ressalvar que para além dos patogénicos isolados, estes o são porque vivemos em umas condições ambientais de contaminação e de hábitos pouco saudáveis, que tornam mais débil o nosso sistema imunitário.

Mais informação sobre o “VII Congreso Nacional de Homeopatía“.

Visualize