Dietética

Há alimentos considerados Quentes, Mornos, Neutros, Frescos e Frios. Numa dieta comum, estes alimentos devem ter entre si um certo equilíbrio, mas um diagnóstico apurado pode recomendar incidir mais num ou noutro conforme os meridianos e órgãos envolvidos no desequilíbrio energético.

Por exemplo, devemos preferir os cozinhados aos crus e evitar temperaturas extremas,

sobretudo o muito frio, pelo esforço que exige ao estômago e ao baço- pâncreas. Também ao nível dos sabores, e relacionado com os órgãos, podemos considerar uma outra forma de classificação.

No entanto, é preciso saber que o sabor não é determinado pura e simplesmente pela sensação

proporcionada ao paladar, mas sim pela propriedade do alimento.

O sabor Amargo relaciona-se com o Coração e o Intestino Delgado;
O sabor Doce relaciona-se com o Estômago e o Baço;
O sabor Picante está ligado ao Pulmão e Intestino Grosso;
O sabor Salgado associa-se ao Rim e Bexiga;
O sabor Ácido relaciona-se com o Fígado e Vesícula Biliar;

Se um sabor é ingerido na quantidade certa vai alimentar a forma e a função do órgão, se pelo

contrário, a dose for excessiva, vai lesá-lo e hiperestimulá-lo. É em particular pela escolha e ordem de introdução dos sabores, das consistências, das temperaturas e até das cores, que são

determinadas uma série de reacções psicofisiológicas, cujo efeito pode ser tonificante, dispersante ou ainda reequilibrante das diferentes funções orgânicas. Adequar a alimentação e

sabor dos seus efeitos sobre o nosso corpo, é saber a maneira de se intervir nos casos do vazio ou plenitude dos órgãos e das vísceras. Através desse conhecimento a Medicina Tradicional Chinesa, elaborou todo um procedimento para repor os gostos energéticos e da matéria, proporcionar a vitalidade e a longevidade celular, os processos degenerativos, o envelhecimento precoce e principalmente o aparecimento de doenças graves.

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, alimentar-se bem, significa alimentar-se com os

produtos que contenham a energia necessária para o corpo em determinado momento. Segundo a dietética chinesa, os alimentos também possuem diferentes acções, de acordo com os seus sabores.

Como tratamento, a dietética deve ser estabelecida por um especialista de Medicina Chinesa.

Este, após analisar o padrão energético do paciente e os seus desequilíbrios, aconselhará o regime alimentar a seguir, atendendo aos sabores e temperaturas dos alimentos para efectuar o tratamento.

dietética, dietética oeiras, dietética paço de arcos, consulta dietética, 

  • Filipa Teles
    Filipa Teles Medicina Chinesa / Acupuntura

    Formação em Medicina Chinesa – Pólo de Chengdu na Universidade de MTC Dr. Pedro Choy
    Prática clinica desde Março 2013

    Especialidades:

    Estética facial e corporal e dermocosmética em acupunctura
    Tui-Na
    Ginecologia e Obstetrícia
    Ventosaterapia e Lipólise
    Tai Qi e Qi Gong
    Dietética na Medicina Chinesa
    Curso de Ligaduras Neuromusculares
    Curso de Analgesia cirúrgica por acupunctura